14. fev, 2016

Texto

Uma viagem inesquecível.

 

            Isla Margarita Venezuela outubro de 2007

            8 Campeonato Sul Americano de Natação Master.

 

 

 

Sempre no nosso grupo, tem aquele que motiva, seja para um simples jantar, isso para jogar conversa fora, ou mesmo para uma viagem, foi o que aconteceu numa dessas conversas, surgiu à idéia de uma viagem para Isla Margarita, imaginando ai, aquelas praias do caribe, calentes verdinhas, limpinhas, a idéia tomou corpo e daí porque não aceitar o convite, chegou então o fatídico dia.

Já no embarque em São Paulo, Guarulhos, Tati colocou muito sapato na mala, conseqüência excesso de peso, abre a mala, coloca em sacola e empresta mala, fecha mala, tudo bem resolvido à questão, embarcamos. Viagem muito tranqüila, pela TACA até Lima,  sobe escada, desce escada, Picci sendo chamado no balcão da TACA, rose piccirin, como saber que era eu, meu espanhol tava fraco, ainda bem que tinha o Fernandinho, falando fluente o Espanhol, acompanhou-me até o balcão, que acontece, você esqueceu as passagens para a conexão, tudo resolvido, vamos lá, passa por uma fila, segue conexão para Caracas, também tranqüila mesma companhia, desembarque, uma fila enorme pessoal ruim de atender, pega a bagagem começa o martírio, transportadores de malas, pega aqui, pega  lá  30 dólares para levar a bagagem, desinformação total no aeroporto, cambio, cambio,  3 por 1, 4 por 1, isso cambio paralelo, e o medo de pegar nota fria, vamos cambio oficial, alguns trocaram, 2.150 bolivares por 1 dólar( já se ferrou), ai uma chuva de lascar, o local do aeroporto para a ilha, teria que sair pela rua, caminhar mais ou menos uns 600 metros e tomando chuva, mas vamos lá tudo é festa, malas molhadas camisas ensopadas, começa o che kim, embora com a passagem em horário marcado, no vôo não teve lugar para todos, ali é igual à lotação, encheu parte, um turma foi outra ficou curtindo o aeroporto por mais duas horas, o Xuxo foi mas, sua mala ficou, ao chegar à ilha o motorista que nos levou até o Hotel, deu algumas dicas referente ao cambio, na verdade na troca do paralelo era compensador, onde poderia se trocar 1 dólar por 4 a 5.000 bolivares.

Chegando ao Hotel, todos planejaram pagar com cartão de crédito, mas nada disso aconteceu, o Hotel exigiu pagamento em dólares, conseqüência o pessoal ficou desprovido, já começava o fumo, pois o grupo planejou levar dólares para os passeios  e outros gastos.

Bom o que vamos fazer amanhã, Domingo, idéia vamos fazer um City Tuor, quer coisa mais legal,  por que  que cada cidade que a gente conhece pela primeira vez tem esse tal de City Tuor, coisa mais chata, vê museu, praças, foi ali que aconteceu isso ou aquilo, mas no, entanto vamos conhecer as praias do Caribe, aquela expectativa,  a vam com motorista  tudo incluso, almoço e bebidas etc.., ai começa a peregrinação, passa por uma praia, passa por outra, mais outra, por uma praça, e cadê aquela  do Caribe, todas com pedras, algas, sujas, praias bem mais feias que as nossas, final canseira  e alguém já sai no preju, perde a maquina digital.

Segunda Feira, alguns fazem passeio até a ilha de cocha, para quem foi, valeu a pena, o almoço foi  paela com muito camarão, coisa que não caiu bem para Márcia, não saiu do trono, dois dias de martírio, febre, diarréia, antibiótico, que beleza!!!!.

Terça Feira, começa as competições do 8 Campeonato Sul Americano de Natação Máster, para se ter uma idéia, do Hotel até a piscina, mais ou menos uns 10 kilometros, os táxis cobravam de 6 a 8.000 bolivares, com sorte vinha um com ar condicionado, mas como sorte é coisa rara, pegava os pau veio, táxi sem ar, sem direção, sem retrovisor, sem vidro, maçaneta quebrada, sempre carro do ano, ano 1970, 1980, mas o motor uma beleza funcionava com gasolina a 80 bolívar o galão, sabem o que é isso, 1 dólar enchia o tanque, naquele pais ninguém anda a pé, também com  este preço até andarilho tem carro, vamos ao que interessa, a competição, Piscina olímpica de 50 metros  e outra de 25 para acalentamento, do lado Estádio de Beisebol,( esporte numero um dos venezuelanos) a piscina relativamente boa, mas os banheiros, um fiasco, 4 vasos sanitários para 900 atletas, no primeiro dia dois estavam danados, e por falar em banheiro, o Xuxo me confidenciou que antes de sua prova, sentiu aquele aperto, aquele calafrio descendo pela espinha e subindo pelas entranhas, foi ao banheiro e realizou o serviço, ao terminar olhou de um lado e de outro, surpresa não tinha papel, bom nem tudo esta perdido, vou para o chuveiro e tomo aquele banho, frustrou não tinha água, resultado perdeu o segundo lugar em sua prova, acho que tava meio pesado…hahaha, contei, pode ficar brabo.A organização uma beleza, embora a competição já em andamento, começou a furar o chão da piscina para colocar  o suporte de cordas e bandeirinhas, e outro pessoal na instalação do Placar eletrônico, por falar em Placar até a sexta feira este placar ainda não estava funcionando, acredito que os venezuelanos estavam infectados pelo vírus baiano. As  provas eram realizadas em ritmo calente, resultados somente no outro dia, Warley nadou uma prova de 200 costas, ganhou a prova, retirou a medalha, e na listagem consta que não nadou, que fazer!!, êle mesmo a ganhou outra prova, mas foi desclassificado, indagando os juizes o porquê, um disse você passou a mão alem da corda, outro não você passou a cabeça, conclusão nem eles se entendem, como contestar,  pessoal tem muito a apreender com os brasileiros, principalmente com a turma da UNAMI,  pudera País subdesenvolvido, mas para cobrar muito inteligente, aceitamos somente em dólares…..

Durante as competições, uns passeavam pelos shoppings  e outros pela piscina e outros ficavam no Hotel resort  meia boca, Margarita Internacional Village, embora o pessoal no atendimento fosse bastante fraco, fisicamente o Hotel tinha  belas piscina e muito bem ajardinado, mas a comida sem duvida era de exercito bandejão.

Retorno da agonia, soube que ao fazer a confirmação de nosso vôo para Cararas, isto no Domingo, a funcionária foi taxativa em afirmar que pelo horário não daria tempo de tomar o próximo avião com destino a Lima, nós só tínhamos aproximadamente uma hora e trinta minutos, não era suficiente, pois o pessoal do aeroporto precisava para fazer o procedimento mais ou menos de duas a três horas com antecedência, vai da li vai de lá, nessa hora palpites é o que não falta, vamos de barco.!, vamos de táxi, ta louco cara nós estamos numa ilha, liga de lá para cá, achamos uma saída, antecipar o vôo para o sábado, dormindo em Caracas, para ser mais preciso, em Laguaira, chegando ao aeroporto, uma decisão quem sabe conseguimos o vôo direto, fica o grupo e segue Warley e Fernando que era nosso interprete para o balcão da Taca, logo  aparece Warley  conseguimos!!! temos que partir imediatamente, porra que correria, colocaram Sr Lemão e Dona Silvia no carrinho, empurrando numa velocidade e  carregadores  de mala recebendo 80.000 bolivares, 600 metros correndo com malas, ufa …. chegamos a tempo, funcionário fazendo o chekim, passa um tempo, ele diz ate agora tinha lugar, no momento não tem mais, e agora que faremos, bom vamos procurar um Hotel e amanha embarcamos, preço de um hotel mais ou menos, equiparado a umas três estrelas no Brasil, preço 650.000 bolivares, valor este que ao trocar dava um montão de dinheiro que o Fernando ao pegar a grana, jogou para o alto em cima do colchão e pulou em cima, deu uma de Tio Patinhas, só alegria,  quartos  com três camas king, dois quartos um com os homens e outro com as mulheres,  sabem quanto é isto em real, cerca de R$ 550,00 por uma noite sem café de manha, vai ser caro assim no inferno, mas por outro lado, ainda tínhamos umas migalhas de dólares, resultado no cambio 1 por 4.800 ficou barato cerca de 240,00 divididos por 6, R$ 40,00 reais por uma noite, mulheres de um lado homens de outro

Domingo embarcamos, no aeroporto já dentro do avião, vimos o pessoal do exercito, lá, soldados ficam direto na fiscalização, e da janela presenciamos os recrutas chutando as malas, até que um deles percebeu que  alguém estava tirando fotos, porque os meganhas entraram no avião para saber quem estava tirando fotos confiscá-las, mas não tiveram sucesso, ninguém denunciou, eles saíram sem a maquina, mas o vôo atrasou mais de duas horas, em fim voltamos são a salvos, perdão mas o Warley voltou com dengue.!!!!!!!!!!.Herois da viagem; Eu, Warley, Fernando, Xuxo, Márcia, Sr Lemáo, Israel como nadadores.

É eu Picci.